Minhas Postagens

Follow by Email

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

MODA CHAPÉUS!!!

Os chapéus subiram literalmente as cabeças das celebridades e viraram febre da estação, principalmente o modelo fedora/borsalino. Eles dão um ar charmoso, misterioso e cheio de estilo para quem os usa.

Curiosidade: O nome borsalino é uma referência ao sobrenome do fundador de uma fábrica de chapéus, Giuseppe Borsalino, foi criado em 1857. Também chamado fedora, que tem esse nome por conta da peça teatral Fédora, de Victorien Sardou, feita para Sarah Bernhardt, e o foi o nome que pegou!


Extremamente elegantes, os chapéus estilo floppy são aqueles, em geral, com grandes abas curvadas, os que melhor retratam a sofisticação para looks à beira mar. Em variações de abas bastante grandes ou pequenas e discretas, essa versão é caracterizada pelas suas linhas orgânicas e suntuosas compostas em tecidos maleáveis ou, também, em palha.

Com lenços em torno da copa, formas assimétricas, cores neutras ou vibrantes; esses acessórios arrematam desde simples biquínis e saídas de banho, até macacões, vestidos curtos e longos, jeans, batas e túnicas. Tranças e cabelos soltos são penteados que aceitam bem o adereço, vale apenas atentar para a sua altura, uma vez que quanto mais baixa for menor deve ser a aba, para que não acabe diminuindo mais alguns centímetros por excessos de “sombra”.



Os chapéus coloridos vão tomar conta do verão 2012,com modelos super modernos você vai poder proteger seu rosto contra os raios solares e claro você também vai estar na moda. Os chapéus coloridos vem para acompanhar a coleção de verão que pode ser usado em qualquer lugar.
Para quem gosta de ir a praia piscina ou clube os chapéus deve fazer parte do seu look ,com cores bem modernos e detalhes em flores eles ganham um estilo mais modernos .Para o verão 2012 você deve conhecer as tendências de chapéus que não pode faltar no verão.



Este ideal de riqueza e poder veio juntar-se ao próprio conceito de moda a partir dos séculos XVIII e XIX. A cartola foi nesta época a “rainha” dos chapéus. De cor preta brilhante, copa alta e cilíndrica e aba estreita, era imprescindível aos magnatas e indivíduos da alta-sociedade. O ex-presidente dos Estados Unidos, Franklin Roosevelt, ou o pintor francês Edouard Manet, raramente eram vistos em público sem a sua cartola. Aliás, é difícil imaginar Manet com a cabeça a descoberto: em praticamente todos os seus retratos e auto-pinturas ele fazia questão de pôr a cartola. O Chapeleiro Louco, personagem de Alice in Wonderland, de Lewis Caroll, tem talvez a cartola mais excêntrica e apreciada de toda a literatura. E a diva alemã Marlene Dietrich mostrou que a ala feminina com caráter forte e singular, pode perfeitamente adotar este tipo de chapéu.




































Já no final do século XIX, surge um chapéu-substituto, com menores dimensões: o chamado chapéu-coco. Mais duro, de copa redonda e aba curvada em ambos os lados, passou a ser usado nas ocasiões mais formais logo após a Primeira Guerra Mundial. De feltro de lã ou pêlo e muito popular em Inglaterra até aos anos 60, estava associado aos homens de negócios e elevado poder econômico. O tradicional english man popularizou-o, acabando depois por se expandir para o resto da Europa e a todas as classes sociais. 
Falar em chapéu de coco é (re)lembrar quase de imediato o ator Charlie Chaplin, criador do intemporal Charlot, que, juntamente com o seu bigode, grandes sapatos e uma bengala, se tornou um ícone cultural. O Primeiro-Ministro britânico Winston Churchill era visto nas mais diversas aparições com o seu chapéu, assim como o pintor René Magritte, que também o representou um sem número de vezes nas suas obras.
O chapéu-panamá foi o seguinte modelo que se transformou num verdadeiro objeto de estilo, em inícios do século passado. Feito à mão, com fibras muito finas de palha branca, é de cor clara e pode ter vários formatos. Ficou célebre quando o ex-presidente Theodore Roosevelt se deixou fotografar com um exemplar numa viagem ao canal do Panamá em 1906. Artistas, atores e músicos aderiam em massa. Quem não se recorda dos galãs de cinema Clark Gable e Humphrey Bogart? Os protagonistas de Gone with the wind e Casablanca usaram este adereço não só no seu dia-a-dia, como também nas suas próprias personagens. Mais recentemente, os músicos Tom Jobim, Michael Jackson e Madonna são constantemente associados aos seus panamás.

Também no século passado, por volta dos anos 30, Carmen Miranda ficou conhecida pelo seu talento na música e na sétima arte, além dos seus extravagantes chapéus. A mulher do tutti-fruti inspirava-se nos tabuleiros de fruta e nas flores da Bahia, para o colorido e original formato. É raro vermos Carmen sem o seu chapéu e ainda hoje é associada ao seu acessório favorito.
Che Guevara, o homem mito, idolatrado pelos seus comandos na Revolução Cubana, é a personalidade mais conhecida pelo uso da boina. Aliás é quase impossível separar os dois, já que esta era mesmo uma marca de identidade do guerrilheiro. As boinas foram criadas para substituir os gorros dos militares. Durante a Segunda Guerra Mundial, as suas cores eram diferentes exatamente para os distinguir. Feito de lã e sem abas, foi ainda utilizada por artistas como Auguste Rodin, por exemplo.

A elegância do chapéu

São muitas as mulheres que fizeram história no cinema usando chapéu. Pretty Woman, filme de 1990, foi um deles, no qual Julia Roberts usa os chapéus mais elegantes de Beverly Hills. Greta Garbo, também fez moda e lançou diversos chapéus quando fez o filme Mulher de Brio (1928). Todos ficam mais elegantes se acrescidos de outros adereços, que combinem e completem a roupa, como flores artificiais ou um véu. 
A maioria dos vestidos pode ser acompanhada por um chapéu. Mas fique atenta: o acessório tem que ser da cor do vestido ou combinar no mínimo com dois elementos do traje. Não importa onde ou quando se usa um chapéu, ele sempre será um acessório que complementa o visual, dando um ar de elegância e finesse.




Dicas importantes

Com tanta variedade de chapéus é difícil escolher aquele que ficará melhor em cada ocasião. Confira as dicas para não fazer feio e completar a sua elegância.
Ao comprar um chapéu, procure ajuda da chapelaria para escolher o modelo que se adapte melhor ao formato de seu rosto. Chapéus desproporcionais tornam-se muito vistosos e a aparência fica deselegante.
A melhor prova para saber se o chapéu combina com você e com sua roupa é colocá-lo e ver-se no espelho. Leve em consideração o ambiente e seu estilo próprio.
Quem não quer chamar muita atenção, deve combinar a cor do cabelo com o tom da cor do chapéu. Não chama atenção e fica bem com tudo. Dependendo da cor da roupa utilize fitas ou adereços no mesmo tom no chapéu.
Chapéus coloridos ou estampados devem ser usados como acessório principal. Nada de brincos ou colares. O visual fica muito carregado.
Chapéus de brechó podem ser peças muito chiques se você souber misturar fitas e acessórios que não tenham nada a ver com aquele visual antigo.



Modelos para copiar:








































































3 comentários:

  1. Eu amo chapéus, queria usar um em uma formatura que vai acontecer em fortaleza,vai ser de dia qual o melhor modelo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Kelly por visitar meu blog,seja bem vinda sempre !!!
      e respondendo sua pergunta:
      O chapéu panamá seria o mais indicado vai te proteger do sol com charme "acessório panamá" complementa o visual daqueles que procuram aliar o bem estar ao charme da moda contemporânea. Tendência unissex, de estilo despojado e chic, os chapéus panamenses podem ser utilizados em integração harmônica com diversas outras tendências veraneiras, tais como, estampas florais, vestimentas minimalistas, tecidos monocromáticos, cortes largos ou justos, curtos ou longos, lavagens em denim, combinações navy, tie dye e etc.

      Excluir
  2. sou gordinha...fica estranho eu usar chapeu?

    ResponderExcluir